Ciranda de Pedra – Lygia Fagundes Telles

29_cirandaUma das coisas que percebi logo ao iniciar essa leitura foi que a autora parece ter tido muito cuidado e dedicação na escrita de seu primeiro romance, mas o que mais salta aos olhos no estilo da Lygia Fagundes Telles para mim é a sensibilidade em demonstrar a alma dos personagens e suas relações uns com os outros. Virgínia, principalmente enquanto criança, é tão verdadeira (ou verossímil) que é possível sentir suas dores junto com ela.

Talvez porque eu tenha me identificado: eu também tive minhas próprias cirandas de pedra. Lidar com a indiferença é um caminho difícil porque embora seja uma situação que machuque, para quem vê de fora não é nada grave. Virgínia se sente isolada, sem lugar em todos os lugares, solitária em qualquer grupo; ou nunca faz parte, ou quando faz se sente diminuída.

“Todos eles eram assim, às vezes pareciam amigos e de uma hora para outra, sem se saber por quê, mudava tudo, ‘Não sei lidar com eles, não sei!'”

Para ela, o que mais dói é não encontrar seu espaço no mundo, é nunca entrar na ciranda, e por conta disso idealizar quem faz parte dela. Os demais personagens – suas irmãs e os vizinhos – são retratados como seres perfeitos, que nunca fazem nada errado, que têm a aparência impecável, ao contrário de Virgínia, que é o tempo todo avisada de seus defeitos.

Não há dúvidas que os afetos e desafetos recebidos na infância deixam-nos marcados pra sempre, a ponto de não conseguirmos esquecer as situações que, aparentemente, já nem damos mais importância. E é assim que, mesmo adulta, Virgínia lamenta perceber que vive em função dessas pessoas que idolatra, quando já achava que tinha superado seus traumas.

“Nunca conseguira na hora certa o que mais desejara. Ou vinha tudo com atraso enorme ou então não vinha nunca.”

O romance é repleto de simbologias, que é algo que gosto muito na autora. Objetos, animais (geralmente insetos) e elementos da natureza em geral aparecem o tempo todo para chamar a atenção de algum ponto psicológico dos personagens. As frases que marcam Virgínia, e que ela repete o tempo todo em suas lembranças durante a narrativa, parecem até formar uma canção que embala essa ciranda, o que dá ao livro todo um ar de estranheza, ingenuidade e loucura.

Anúncios

10 comentários sobre “Ciranda de Pedra – Lygia Fagundes Telles

  1. Sabe que eu não tenho certeza se li esse livro? Tenho vários trechos da história na minha cabeça, mas não sei se li de verdade ou se apenas conheço a história de tanto ouvir falar dela. Em todo caso, ler (ou reler) Lygia Fagundes Telles sempre vale a pena, né?
    beijo!

    1. Michelle, sabe que isso acontece comigo também? Alguns livros fico na dúvida se li ou não, com filmes então é pior ainda. Mas a única coisa que lembrava de Ciranda de Pedra eram algumas cenas da novela que devo ter visto na infância. Agora estou começando As Meninas. =)
      Beijinho!

  2. Oi Lua !
    Poxa ainda não li Lygia ! Que vergonha !
    Esse livro me pareceu uma história tão sensível, eu tb adoro simbologias no texto, acho um recurso delicado que sempre enriquece o livro. Adorei a resenha !
    bjos

  3. Que linda sua resenha Lua!
    Deu vontade de reler o livro. Lygia tem realmente uma sensibilidade extrema para escrever personagens fortes e principalmente personagens femininos. Espero que goste bastante de As Meninas!
    Beijos!

    1. Tati, já comecei As Meninas, mas por enquanto estou achando estranho, está parecendo um pouco Clarice Lispector, mas vamos ver mais pra frente.
      Beijinhos!!!

  4. Olá! Eu fiquei realmente feliz quando vi uma resenha sobre um livro da Lygia…hoje em dia com essa febre de lançamentos, é difícil ver alguém fazendo uma resenha sobre um livro dela e você fez justo do meu preferido 😀 Eu já li esse livro muitas vezes e sempre tenho vontade de reler.

    1. Tamara, eu queria ter lido esse livro quando era mais jovem, eu teria amado mais ainda!
      Menina, vi que você é de Boa Viagem! Morei minha infância toda nessa cidade. =) Beijo!!

  5. Lygia Fagundes Telles é simplesmente uma autora sensacional – e um amor de pessoa! Seus contos são muito bons também.
    Espero que goste de “As Meninas”, pois é um dos meus livros favoritos.
    Acabo de conhecer seu cantinho, Lua, e me vi cativada. Estarei sempre acompanhando seus posts.
    Beijo!

    1. Oi, Katharina! Seja bem vinda ao meu cantinho, obrigada pelo seu comentário carinhoso. Gostei sim de As Meninas, no entanto acabei gostando mais de Ciranda de Pedra. Já li muitos contos da autora, mas futuramente quero ler mais. Beijinho!!!

Deixe um comentário e eu responderei aqui mesmo. Obrigada pela visita!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s