Daytripper – Fábio Moon e Gabriel Bá


Às vezes uma leitura pode ser muito pesada ou muito leve, depende muito de como você está se sentindo no momento ou do que seu inconsciente pode estar guardando. A leitura de Daytripper me deixou emocionada como há muito tempo eu não me sentia lendo uma obra. Tanto que na metade tive que parar e só continuar no dia seguinte. Outra pessoa pode ler tranquilamente de uma tacada só, mas a menos que você seja uma pedra, este é um daqueles textos com tantas camadas que vai acabar te atingindo de um jeito ou de outro.

Não há muito como falar de Brás porque a história dele é a história de todo mundo, com todas as possibilidades de vida e de morte, de escolhas, de amores, família e amigos. Com o apelido de Milagrinho ele representa qualquer um de nós, milagres ambulantes numa estrada que guarda surpresas a cada momento. E como essas surpresas podem ser irônicas!

Todo dia pessoas morrem, mas a vida continua em outras pessoas, a vida não tem fim. Cada capítulo de nossa história pode ser o último, mas é o preço que pagamos pela beleza e intensidade da vida. Daytripper constrói um lindo mosaico em que tudo o que vivemos, as pessoas que nos cercam, os lugares para onde vamos, são todos pedrinhas coloridas formando nosso desenho incerto.

Escolhi este livro por acaso na seção de quadrinhos da livraria, talvez pela sua capa branca se destacar das outras ou pela pergunta estampada na capa: “Quais são os dias mais importantes da sua vida?”. Foi intuitivo, mas depois que li lembrei que já havia visto uma resenha da Luara sobre ele. Li a edição brasileira (é estranho ler a tradução de um livro feito por dois brasileiros), e achei nossa versão mais bem cuidada, com papel melhor e capa dura (comparando com a versão americana que tinha disponível na livraria quando comprei). Até agora, sem dúvida, a minha leitura do ano.

__
Livro relacionado:

Anúncios

10 comentários sobre “Daytripper – Fábio Moon e Gabriel Bá

  1. Oi, Lua! Li ‘Daytripper’ na Cultura essa semana. Achei lindo, muito bem escrito e os desenhos são ótimos. É um livro de muitas camadas. Eu já conhecia Fábio Moon e Gabriel Bá, mas não sabia o quanto eram bons. Vou correr atrás de outros deles. Grande beijo!

    1. Oi, Sandro! Estava agorinha mesmo lendo seu texto sobre ele! Eu os conhecia de nome, mas nunca tinha lido nada deles. Espero que as outras obras sejam boas, vou procurar também. =) Bj!

  2. Oi Lua, ouvi um podcast sobre o quadrinho essa semana, e descobri sua resenha.
    Engraçado, eu nunca consegui por em pratica a ideia de “ler de uma sentada”, sempre preciso de um tempo para a leitura penetrar. Até livros pequenos, gosto que os personagens fiquem comigo, acho, rs.
    Enfim, acho que esse mês compro Daytripper.
    beijo grande,

    1. Menina, me conta qual é esse podcast, gosto bastante de ouvir. Concordo contigo, Maira, também gosto de deixar passar uma noite, mas às vezes é inevitável, você fica com tanta vontade de ler que não quer largar. Já Daytripper não deu, li numa época que me emocionou muito.
      Beijos!

Deixe um comentário e eu responderei aqui mesmo. Obrigada pela visita!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s